Postagens

Mostrando postagens de Novembro, 2013

Que horas são?

Imagem
Era um dia como outro qualquer, as mesmas coisas aconteciam. A quentura do sol lhe atordoava o juízo, mas o destino ainda lhe reservava algo interessante,  foi num dia comum assim que ela apareceu na minha vida, veio com um sorriso sincero e tímido, com aquela cara de quem não quer nada e me perguntou:
- Moço, você sabe que horas são?
Atordoado pela beleza daquela moça (e pelo calor escaldante), olho o meu pulso e digo:
-exatos meio-dia...
Só não entendi o porquê da pergunta, já que quando desviei o olhar do encontro dos seus, percebi que um belo relógio lhe adornava o pulso. Minha mãe sempre me disse que deveria dar aos outros o que quisesse que me dessem de volta, então, foi por isso que respondi com educação. Com outro sorriso, ela agradece e vai, até se perder na multidão. Na minha vida, as pessoas vem e vão numa velocidade absurda. Dias se passam, a rotina volta ao normal, o calor volta ao normal, o estresse e tudo mais que o dia-a-dia numa cidade grande pode oferecer, volta ao norma…

Teoria das Cordolhas

Imagem
2: “-Você não é esquisito, é raro, é diferente. Você é aquele tipo de cara ao qual toda mulher sonha em ter como companheiro. Ora, é assim que funciona um namoro!”
1: -é?
2: “-Sim, basicamente, você tem que me contar sobre suas desventuras e, eu as minhas a você.”
1: -Agora tá fazendo sentido, mas e a outra parte?
2: “-Qual parte?”
1: -A parte que deixa você sem fôlego? A parte que faz você suar frio, o coração acelerar e ficar com frio na barriga só de ver a outra pessoa.
2: “-Então, ai já é outra coisa. Esse ai é o tal do amor.”
1: -E o que se faz com ele?
2: “-Se entrega.”
1: -E se não funcionar?
2:”-Dai você se fo**!”
1: -Será que vale a pena correr o risco?


"Tempo de Pipa"

Imagem
Eu não me lembro dos seus nomes,
quando outrora costumava usa-los.

Eu não me lembro dos seus rostos,
quando em algum dia costumava ama-los.

Eu não me lembro...
sempre fui ruim em gravar as coisas.

As vezes eu me lembro, mas aos rostos não me apego,
eles vão e vem como o vento e aquele pedacinho esfarelado de concreto. 
com os seus semblantes eu degenero.
droga, ainda sim não me lembro...