Arrêbaba! ou seja lá como se diz


Eu, em todos os meus humildes e simplórios anos de vida, tenho acompanhado algumas novelas. Desde pérolas da tele dramaturgia mexicana como "Maria do Bairro", "Marimar" e "A Usurpadora" a coisas que insistem em dizer ser novelas, tais como: "Canavial de Paixões", "Os Mutantes" e "Chamas da Vida". No tempo que assisti A Usurpadora pela primeira vez, nas minhas tardes ociosas da 4º ou 5º série, no sbt, não via muitas pessoas na rua perguntando umas as outras se " o Carlinhos já ficou bom das pernxas?", mas os tempos mudam e até a inocência das novelas também.

Bons tempos eram quando a coisa mais indecente que se via na tv eram as loiras/morenas/ruivas/negras do tchan balançando as mamonas e as mais medonhas eram os Ets e Chupa-cabras que se insistiam em passar no Gugu. Se eu for dizer aqui o que agora é indecente e assustador não vai caber nesse post e você, caro[a] amigo[a] leitor[a] logo desistirá de ler isso, um dos meus passa tempos[me ajudem na nova reforma ortográfica T_T] preferidos quando criança era ver televisão, passava o dia inteiro com os olhos esbugalhado e virados para aquele tubo de imagem caoticamente distorcida e tão divertida, e olhe que nem falei nada sobre o sábado, que era quando passava o sábado animado. Enfim, os tempos mudam, as pessoas mudam e as novelas também.

Com meu olhar humildemente critico, posso ousar dizer que pude captar algumas mudanças infelizes nas novelas de hoje em dia, e outra coisa, dizem até que só quem "faz novela" é a globo, o que considero prepotência da parte de quem diz tamanha sandice, quem diz isso é porque não teve infância tão boa e sem sentido como a minha, mas, voltando ao foco, uma das mais criticas mudanças nas vulgas novelas globêlescas da atualidade é que todas, eu disse T.O.D.A.S. exercem algum tipo de influência na população brasileira, [como se já não bastasse o Big Brother]. É estranhamente engraçado analisar isso, vamos aos poucos, agora tomarei como base aquela novela premiada no exterior e tudo, se não me engano era de Glória Perez, o nome era "Caminho das Índias". Vai me dizer que você nunca viu, pelo menos enquanto a novela estava em exibição na globo, alguém falando "arrêbaba" ou "namastê, mesmo sem saber se isso era um simples e inocente "bom dia" ou se era um sombrio e não comentavel "vai te fú..". E agora vem as roupas, vou falar do que vi por esses lados da linha do Equador. Tente imaginar junto comigo, um ambiente com seus poucos 32ºC na sombra e 36ºC no sol, alguém que se diz em plena faculdade de suas funções mentais, usando um lenço [que insistentemente se chamavam de burca, isso enquanto a novela tava rolando na na globo, porque depois voltou a ser só lenço mesmo] acompanhado de um calça jeans que mais parecia aquelas calças "da gangue", calças essas que sempre foram um mistério da humanidade pra mim, porque elas desafiam as leis da fisica e se encaixam em pessoas, geralmente mulheres, que tem um tumor abaixo da cintura que também insistem em chamar de bunda. Agora, nobre leitor[a], imagine uma pessoa dessa passando do seu lado em pleno centro da cidade, naquele formigueiro humano, balançando a cabeça freneticamente para os lado, ao melhor estilo Fat Family, balançadinhas alusivas aos que os árabes fazem como costume lá na sua cultura, e ainda expelindo de sua boca infame um "arrêbábá" e um "tá calô não". Revoltante? pra mim não, eu acho é graça, sofram bastardos sem cérebro e cozinhem pela publicidade de pessoas e empresas que nem sabem que você sequer é um zigoto fecundado e desenvolvido.
Infelizmente, ou felizmente, já vi muito disso por aqui, agora cabe a cada um interpretar isso como alegria ou tristeza. Agora, serio mesmo, você faria isso só pra se sentir na onda? naquela de todo mundo vai porque eu também não? se sua resposta for afirmativa, só tenho a lamentar por sua pobre alma desiludida e perdida, maaaaaas, se sua resposta for NÃO, quero lhe parabenizar e lhe chamar pra fazer parte do meu clubinho privado de N.S.A. [noveleiros sensatos anônimos], aqui é igual no linha direta, a sua identidade é mantida em mais absoluto sigilo.

Piadas falhas a parte, o que tenho a dizer sobre esse tipo de comportamento é que tenho pena das pessoas que se deixam levar por essas "tendências" tão facilmente, quase sempre é por pura inocência e sem perceber já caem nesse caminho sem volta, e aconselharia essas a sentarem e refletirem sobre os seus conceitos de valores de vida, aqueles mesmos que você leu nos livros de auto-ajuda de Augusto Cure, só que na pratica desta vez. ok? Também não sou nenhum mestre em nada pra dar conselhos, sou a pessoa mais estranhamente pseudo certa que conheço, mas, enfim, faço o que considero correto e tento ser sensato na maioria das vezes, não nego que já sofri influencias de varias coisas, não só de novelas, mas isso foi quando eu era jovem e sem uma boa opinião e educação fundamentada em princípios realmente valorosos. O que se vê hoje em dia são as crianças da geração "Wii", jovens da geração "Curtindo a vida adoidado" e não tão jovens da geração "Não se fazem mais coisas como antigamente". Não que eu esteja dizendo que é ruim ter um Wii, ou que seja banal curtir a vida adoidado ou ainda reclamar da durabilidade das coisas, não, longe disso, só considero que se alguém só vive sobre isso acaba se tornando alienada mais cedo ou mais tarde[geralmente mais cedo mesmo].

E é por essas e outras que quase que aboli a televisão do meu cardápio diário, o máximo que assisto hoje em dia, são alguns noticiários e documentarios, fantástico nunca mais, desde que passou lá uma matéria sobre o cachorro que virou destaque de escola de samba, ele perdeu o resto de credibilidade que eu ainda acreditava que ele tivesse, nem, muito menos, assisto Jornal Nacional nem o Jornal da Band, porque me decepcionei com alguns comentários feitos por seus ditos ancoras. Eu digo, só não sei se é válido, mas mesmo assim insisto, Tv boa era Tv das antigas. Foi por culpa dela que me tornei, em parte, o que sou hoje, agora, se isso é bom você quem deve me dizer, se for ruim... me desculpe, juro que não fiz por mal.

E findo-me por essas linhas dizendo que não se revoltem com a programação televisiva só por minha causa [como se eu tivesse todo esse poder de persuasão], apenas dê um upgrade no seu senso critico, leia mais, estude, se exercite, coma bem, se divirta e lembre-se "faça coisas boas e coisas boas acontecem".E aos heróis e heroínas que leram isso até o fim, o meu mais sinceros e profundo Obrigado =D.

Comentários

Rayssa disse…
Doidish... eu concordo sobre as influencias das novelas sobre as coisas, como todo o resto da midia. So q novelas tem estorinhas q prendem as pessoas. Um dia desses eu assisti uma novela da globo e alguem q venha me dizer q aquilo eh bem feito, pelamordideeush.... u_u. Trabalho mal feito mesmo. Não so cliche, nao so futil, nao so chato. Se fosse so isso era até passável, mas mal feito. Indigno de estar num chamado "horário nobre". PQP. Ah ssim, mas novelas sao otimas pra lançar tendencias da moda popular. Provavelmente empresas q vendem determinado tipo de roupa (tipo indiana,chinesa, vietnamita) adora essas novelas etnicas \o/. Mas uma coisa... sobre pessoas comentarem tanto de novelas.. eu até acho isso engraçado... eh só um grupo de pessoas comentando sobre algo em comum q gostam. Como otakus falando dos ultimos episodios de animes, pessoas q leram os mesmos livros falando deles, viciados em alguma serie, ou qualquer outra coisa assim que envolva estorias e que envolva pessoas. É simplesmente uma questão de acessibilidade à informação, gosto e comodismo, às vezes (tipo "eu ate assistira algo melhor se passasse na tv, mas eu eh q nao vou procurar... u_u").
Enfim, sheilá... coisas coisas =p
bola disse…
Muito bom o texto, boa critica as emissoras de TV que tentam impor padrões de comportamento as pessoas e grande parte delas segue sem nem perceber que foi "coagida" a isso...
Me lembro do tempo que o fantástico passava matérias interessantes e não coisas futeis/inuteis ou coisas para promover os outros programas da própria emissora e os noticiários realmente davam a noticia e não a versão da noticia que favoreça tal partido ou grupo político que ela apoiá...
Rafael disse…
e a proposito, a culpa do post ter sido escrito é do nosso nobre amigo Elton, que me deu o tema, e eu apenas escrevi.
Fernanda disse…
huhu, quando li sandice lá só lembrei do velho molusco
e eu ri com a tia vestida de indiana no centro da cidade dizendo q n tá com calor ><

e eu tb assisti A Ursupadora o/

realmente concordo quanto a "globalização", do canal msm, da tb brasileira. confesso q achava a modinha indiana ridícula, tanto é q tinha comprado uma blusa do estilo e parei de usar depois de ver tanta gente na rua usando a mesma coisa .-.
o problema é q cada vez mais se faz televisão para o povão, pra conseguir prender aquela família que se reúne no sofá da sala para assistir o JN e a novela das oito depois do jantar...
tava vendo vale a pena ver de ovo outro dia, e vi como Serena tava tosca em Alma Gêmea, e q ouvir ela falar "vou pra sa paulo" era perda de tempo.
de qualquer forma, tô me extendendo demais nesse comentário. encerro dando os meus parabéns a rafael por parar pra pensar e escrever sobre esse assunto, e dizer q o blog tá ótimo :]

bjos da nanda

Postagens mais visitadas deste blog

Labirinto do Fauno

"Sinceramente, tô nem ai pra esse monte de merda."

Narrativa escolar