Apenas e a penas


Apenas palavras soltas ao vento não valem lá muita coisa, por isso que escrevo. Habilidade me falta, mas na mesma inversa proporção me vem a vontade, ou até a teimosia, se assim preferir chamar, de não desistir. Você não precisa acreditar em mim, afinal, sou apenas um rapaz latino americano sem dinheiro no bolso e todos os blá blá blás mais, metido a cronista, se preferir acredite só no semáforo, porque como já em enfatiza o vocalista do Vanguart, ele não mente.
Ideias a mil e já não muito tempo para trabalhar nelas, antigos projetos me revem como verdadeiros zumbis, a única diferença é que eles não andam querendo comer meu cerebro, mas isso também não quer dizer que a minha humilde e singela massinha cinzenta não esteja correndo nenhum risco.
Provavelmente é muita ousadia minha dizer que correm em minhas veias um "q" artistico, é ousadia, sei, mas fazer o que né? Nem tudo que se gosta de fazer, necessariamente quer dizer que se faça bem feito. Sou a prova viva dessa teoria. Um pouco de cada coisa é o que absorvo, nem tanto, nem quase nada, apenas na maldita medida mediana. Medida essa que infelizmente me segue por toda vida e a qual não consigo ultrapassar, se me abobalho um pouco a queda e o consequante fracasso são inevitáveis.
Agora é hora de você refletir quantos minutos você perdeu lendo aqui, mas se mesmo assim leu, muito obrigado =D.

Comentários

Pat Maionese disse…
Tava arrumanu meu brog,rê lá :D
avia.

Postagens mais visitadas deste blog

Labirinto do Fauno

"Sinceramente, tô nem ai pra esse monte de merda."

Narrativa escolar