Retalhos

   Nem sem que horas eram quando comecei a pensar nela. Na verdade, eu nunca deixei de faze-lo. Aventuro-me a desenhar (quando convêm), escrever (quando palavras ditas não são suficientes), pintar (quando o tom cinza do mundo me satura os olhos), esculpir (quando busco novas formas) e costurar (quando texturas e sensações precisam se misturar). A única coisa que não tenho aptidão para ousar fazer é música. A representação perfeita da arte, aquilo que bagunça com todos os sentidos humanos de uma vez só e nós transporta para partes distintas de nossas próprias consciências, aquilo que pode, ao mesmo tempo, fazer com que nos sintamos os seres mais sublimes do universo ou, completamente débeis.
   Não existe felicidade. Se você vive sua vida correndo em busca disto, sinto muito te dizer, mas ela não existe.

     "- Mas, quem raios você pensa que é para falar assim?"

   Exatamente! Quem eu penso que sou? Posso te explicar o porquê do céu ser azul ou até a minha teoria do porque que a palavra laranja foi associada a cor e a fruta, mas, ainda sim, não vou saber te responder satisfatoriamente aquela pergunta.
  Para mim, o que existe realmente são 'momentos de felicidade', que se administrados com sabedoria, podem se perpetuar em 'loopings' nessa montanha-russa que os mais sabidos (do que eu) costumam chamar de vida.
   Ciclos + retalhos = vida

   Basicamente essa é a fórmula, as boas e más experiências são necessárias para o desenvolvimento humano. Um bom emprego/Um mal emprego, 2454235 amigos/3 amigos, vida saudável/sedentarismo e até um grande amor/saudade. Você vivencia tudo isso, recolhe os retalhos e costura na sua linha do tempo. É uma via cíclica, não linear e que flui para os dois lados. Não existe contramão, ninguém pode te fazer seguir o caminho que elas julgam justo ou mais divertido, elas podem apenas sugerir. Cabe apenas a você aceitar ou não essas sugestões.
   Por isso, se você começou a ler essas linhas tão toscamente desenvolvidas pensando que talvez fosse encontrar algumas respostas para suas próprias indagações pessoais e/ou até um grande conselho, de antemão preciso te pedir desculpas. A única coisa que podemos fazer juntos e debater nossas ideias e tentar dar minha opinião sobre isto, mas, caberá apenas a você tomar suas próprias decisões. Embora, 'tú já sejas sábios apenas por duvidares destas ideias' (li isso em algum lugar, não exatamente assim, minha memória é uma porcaria, me desculpe novamente).
   Se quiser, posso te dar uma sugestão. Quer? Ótimo, lá vai então: Permita-se enxergar o lado bom das coisas e não amaldiçoe o universo por desconstruir suas ideias, aprenda e enxergar além do que os olhos vêem, enxergue com o coração. Só assim encontrarás a felicidade plena (ou loopings mais duradouros). A vida é estranha, só sei disso.

Exatamente!


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Labirinto do Fauno

"Sinceramente, tô nem ai pra esse monte de merda."

Narrativa escolar